Delicadezas

uma luz

A saber:
a perda, tal como
um homem
é uma coisa sozinha
sem dono. A tê-la,
nossa,
é também
de sofrer sozinhos.

Nunca partilhamos as perdas,
nem as partidas.
Só o fôlego
desse intervalo magro
entre largar a mão
da tua presença.

Junho 2015

Sem comentários:

Enviar um comentário